terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Versões boas, ruins ou melhores? Still Loving You

"Still Loving You" é uma das baladas hard rock mais conhecidas até por aquela pessoinha que só compra cd pirata da banda Calipso (se é que ainda isso existe).

Essa música teve uma situação engraçada que presenciei. Estive em um bar, certa vez e o estabelecimento tinha um cômodo lateral em que cabia umas 50 pessoas para bandas ao vivo. Uma bandinha de hard rock se apresentou nesse bar quando fui. Era uma banda de hard rock oitentista bem antiquada já para os anos 2000 e bem estranha para uma cidade pequena de interior. Os caras andavam sem nenhuma preocupação de calças de lycra/legging brilhentas na faculdade - de onde conhecia de vista alguns membros. Eles tinham composições próprias e não só podiam usar essas coisas, como também tinham talento.

Curtindo o showzinho da banda, vi um casal discutindo. O abestado do namorado era meu conhecido - meu amigo, na verdade, que depois que começou a namorar, deixou a vida social de lado e parecia viver apenas para ela. Ele se afastou de mim, que era amiga recente, mas também de seus amigos mais antigos. Coisas da vida. Eu não soube o motivo da discussão, sei que ela saiu de perto dele, se juntou à uma mocinha que estava próxima a mim com um casaco sobretudo e um vestido quase transparente por baixo que tinha me chamado atenção pela atitude. Não estava calor, mas o frio não pedia um sobretudo. Ela era bem nova, menor de idade, com uns 13 anos na época. Eu conhecia sua irmã e já tinha estudado na mesma escola que ela. Sabia que era bem novinha. A mocinha, vestida como uma groupie de interior, se oferecia para um cabeludo que estava acompanhando a banda. O cara, devia ter minha idade, cerca de 21 anos, na época. A cena era feia as vezes, e por isso, eu achei desagradável a situação, mas piorou quando a namorada do tal cara deixou de discutir com ele e se juntou com a novinha. As duas decidiram beber uma cerveja e foi juntando outras meninas, outras mini-groupies de interior... Elas riam e davam olhadinhas de lado e o trouxa lá no canto, de braços cruzados. Digo trouxa porque o que me pareceu era que ele - que não bebe - teve de ver a namorada ficar entre as "empolgadinhas", se nutrindo de um fermentado alcoólico.
Até que ele veio ao palco, num intervalo e conversou com o vocalista que fez uma cara estranha e disse no microfone: "O amigo aqui quer que toquemos uma música para a namorada dele. Fera, a gente não ensaiou ela, na verdade não me lembro de já termos tocado, mas vamos fazer o refrão só para não passar em branco, pode ser?"
E tocaram o refrão de "Still Loving You"...

Na hora achei uma infeliz reação e uma situação deveras brega. Mas, quem era eu para julgar? Além disso, os caras da banda fizeram uma expressão como se alguém tivesse pedido para tocar "Raul". Felizmente acho que depois eles pensaram bem e que poderia ser pior: poderiam ter pedido "Faroeste Caboclo", rsrsrsrsrs... Enfim, a moça ficou sem jeito, mesmo assim ela terminou a cerveja e se sentou perto dele. Ela passou o resto do show ouvindo ele falar com ela, e olhando para as meninas com quem ela estava, se dando melhor (ou pior, vai saber...) na noite do que ela.

Essa música ficou com a imagemzinha na minha cabeça como "algo para nuca se fazer num show de banda de garagem, nem com o companheiro(a)". Fica a dica para quem entendeu minha reação diante do fato, hehehehe...

Vamos à música e a versão!
A versão original cantada pelo Scorpions não é péssima. Mas basta uma repetição de mais de três vezes e ouso dizer que é possível arremessar o aparelho que está tocando a música na parede com você esbravejando umas maldições à Klaus Meine. À não ser que você esteja em profunda paixão (e mesmo assim, acho que há outras melhores músicas para ouvir à pensar pelo amado-amada) não vejo outro motivo por colocar a música no modo "repeat".
Já a versão, abriu ouvidos para uma coisa diferente: metal melódico, com um toque de speed metal e uma voz menos "gemida" que a de Meine - que por sinal, é um paradoxo: Ele é todo pimpão na cantoria, meio erotizado naquela lamuria cantante, mas ao mesmo tempo é tão feio que dá até dó. Não se pode ter tudo na vida mesmo...

Original: Scorpions
Compositores: Rudolf Schenker e Klaus Meine
Álbum: Love at First Sting
Lançamento: Junho de 1984
Estilo: Power Ballad, Hard rock


Versão: Sonata Arctica
Álbum: Talkatavi (EP)
Lançamento: 21 de novembro de 2003
Estilo: Power Metal, Speed Metal


Um pouco de agitação numa balada as vezes pode ser necessária. 
E vocês, o que acharam da mudança?

Abraços afáveis! 

PS: Como sempre, outras versões já passaram por aqui, se você ainda não viu todas, clique na aba Especial 1: Versões/Covers.

sábado, 3 de dezembro de 2016

Abu Dhabi em Fotos e sobre Nico Rsoberg

Vamos às fotos de Abu Dhabi, comentadas:

Já na coletiva de imprensa Kimi Raikkonen foi interpelado (eu acho que propositalmente, afinal Verstappen e Nars ainda são verdinhos na F1) pelo repórter se ele sentiria falta do Button e do Massa.
Observem as reações dos 5.


Eu detesto o Massa. Mas na boa? Eu achei a imitação excelente, kkkkk...
E olha, apesar do Kimi ter falado que a decisão deles ele compreendia e sabe que os dois terão sucesso no que irão fazer dali adiante, eu acho que ele estava tendendo a concordar com o "noooo" do Massa hahahahaha...

Esse sorriso significa: "Maldição, ele sabe!!" 
Hahahahahaha...
Mas sejamos pragmáticos, ele não respondeu a pergunta. Tudo que ficou foi aquele silêncio e esse sorriso hahahahaha... 


***

Toto: Eu tenho que dar um jeito no Rosberg... fazer ele chegar bem longe do LH...
Arrivabene: Deixa eu pensar...

Arrivabene: Quer um carro reserva da gente? Vou lá pegar em um instantinho...
Toto: Não. Não. Não quero incomodar...

Na verdade, Toto não queria dar tanto na cara com um carro mais lento... 


***

Gangue do Kimão
Uai. 
"Arrivamale" junto?


***

Houveram algumas demonstrações de carinho entre mecânicos, equipe e pilotos...
Mas essa aqui:

Assustadora 


***

Ali temos outra - no antebraço de Alonso -, uma homenagem ao Button que tem uma tatuagem de um botão bem ali.
Essa não é assustadora, viram?


***

Alonso: - JB, como tá o coraçãozinho?


***

Nos braços da galera


***

Vettel deu uma canseira no Rosberg, mas no fim, foi muito mais amistoso que o Hamilton


***

Olha só!


E ainda teve selfie:

Genuinamente, legal. Sem a cara de tacho do Lewis, que estava desse tipo, para pior:


***

A manguaça instaurada



Só vcs?  E o resto? Cadê?


***

A última classe de 2017. Os centrais estão fazendo bye-bye de vez. Nars também, por falta de contrato. E eu já não sei muita coisa, porque eu estou um pouco perdida para onde cada um vai e quem vai chegar.
Mas isso fica para próxima. 

Abraços afáveis!

ATUALIZAÇÃO:

Fiz uma pausa do blog. Essa postagem estava aberta para ser postada na terça feira, mas, devido a tragédia do avião com o time de futebol Chapecoense (que levou à morte 75 pessoas de 81 pessoas que estavam no avião, entre eles maioria jogadores, jornalistas e comissão técnica do time) não havia clima para brincar com qualquer que fosse o assunto. Muita gente se mobilizou nas redes sociais. A tristeza era grande para torcedores e não torcedores. Vidas se foram, e a gente ficou desde então em orações e vibrações positivas à amigos e familiares das vítimas, bem como aos sobreviventes - 6 ao todo. 

Logo as obrigações também estiveram à vista e precisei dar conta de um trabalho antes da sexta feira. Com isso feito, a postagem caiu para esse sábado com uma "novidade": 
Nico Rosberg anunciou, ontem, em coletiva ao vivo via rede social, que estava se aposentando. Nem a Mercedes sabia da sua decisão. 
Pensando por alguns minutos, eu percebi que foi uma sábia decisão, difícil, muito precipitada, mas sábia. Apesar de ter visto postagens de loucos e loucas dizendo que Nico no caso, sabia que era um verdadeiro piloto mediano, tirava time de campo por não ser nem "competitivo" ou não querer tomar "pau de novo do Hamilton". Esses loucos e loucas não disseram o mesmo do Massa, mesmo contando que o Massa, não tem título em seu nome. Jenson Button tem, e mesmo assim, ninguém ligou muito.
A gente sabe que, depois criação dos comentários de blogs, desites de entretenimento, redes sociais com perfis onde se pode dar a opinião como e quando quisermos, as coisas saíram do controle. Ao mesmo tempo que a gente sempre podeter sido favorável ao direito de todos expressarem opiniões, corremos o risco de ouvir e ler tanta "m" que é até difícil de mensurar.
Quando eu disse que não confiava que a Mercedes deixaria que Rosberg fizesse sua corrida de forma tranquila, eu pude ser bem idiota nesse pensamento. Mas as caras dos amiguinhos e do prórpio  Toto Wolff mostram claramente que ele - se pudesse - teria parado o alemão.
A Mercedes tem Rosberg como seu piloto desde que começou na F1. E desde então também, esperava até quase não poder mais, a renovar com ele. Primeiro, trouxeram o heptacampeão Michael Schumacher para ser seu companheiro. Superando o Schumi, que mais parecia estar ali para se divertir, eles deram a rasteira mor em Rosberg trazendo Lewis Hamilton, ganhando muito mais e como claro primeiro piloto na equipe.
Rosberg agora vai cuidar da vida. Chegou ao ponto de realizar o sonho: vencer um campeonato. Se ele acha que não vai ganhar mais, ele pode estar certo. Eu confio apenas que se as coisas melhorassem, só Alonso poderia tentar mais um título. 
Não, eu não vejo que Kimi ou Vettel ganhe mais nada na F1 agor, nem nos próximos anos.  
E esse papo de competitividade não existe mais à pelo menos 5 anos. Acabou gente. Agora é carro e um pouco de coragem, ou um carro e um pouco de politicagem. Nos últimos 2 anos, foram carros e um pouco de barbeiragem, embebido de politicagem. Então, fica complicado para Kimi ou Vettel voltarem a vencer. A Ferrari está cada vez pior. Caminha para seu décimo ano sem títulos. Vettel é o reclamão chato da pista, enquanto Kimi é "véio" bebum que dorme no meio do grid. 
Podem querer me jogar na brasa, mas eu, se pudesse, chamaria o Kimi no canto e diria para ele deixar 2017 para trás, decidindo por si só, uma aposentadoria. Periga ele ficar ano que vem sem contrato, sendo forçado à escolha de se retirar, por ser "desprezado" pelos demais. Um cara como o Raikkonen, nem de longe , muito menos de brincadeira, merece esse fim. Mas é o que tende a acontecer e isso arrebenta com a gente que torce pelo cara e quer o seu melhor. Justo ele, que sempre disse que filhos era só quando ele se aposentasse, para ver a criança crescer. O seu filho (escapulido) já vai para dois ou três anos e a moça já está grávida de outro. Poderia decidir como o Rosberg né?...
Vettel vai pelo mesmo caminho, com o começo diferente. Ele "alonsou". Depois de 2007, aquele bom e velho Alonso foi minando como se "dementadores" fossem sugando aos poucos seu talento. Hoje, ele brinca com a própria desgraça na McLaren, mas está até certo ponto, certo. Vettel teve um ano ruim em 2014, saiu da equipe e foi para a dementadora Ferrari. Está lá há dois anos, fazendo apenas o trivial. Alonso pelo menos chegou a disputar campeonato no ano em que chegou na equipe. Vettel, nem isso...
Infelizmente, foi 2007 o ano que eu acho que mostra que de LH, ainda temos muito a fazer acontecer. Em 2007 ele perdeu o campeonato por burrice (eu até achei que fosse por justiça), em 2008 ele ganhou pela incompetência do seu oponente e por uma sorte maldita. Os cinco anos seguintes, ele ficou com um carro mediano e aparentou a todos o quão meia boca ele é como piloto. Sem um carro potente, ele chegou a cogitar aposentadoria também. Com uma chance de ser rabudo de novo, fez contrato com outra equipe e venceu dois anos seguintes sem soltar uma gota de suor. Ele foi o cara que havia cutucado Vettel a dizer que vencer campeonatos com facilidade matava o esporte, quando o tal, comemorava seu quarto título antecipado. Hamilton mesmo quase matou o esporte em 2014, e desligou os aparelhos na pior temporada que já acompanhei - em 2015 - fazendo a gente perder a vontade de assistir a corridas.
Eu queria, queria mesmo que equipe Mercedes decidisse colocar um Verstappen lá para brigar com ele de igual para igual. Só assim para eu dizer que LH não ganha mais nada na F1. Quero ver ele começar com os chiliques dele, antes mesmo da temporada começar.
Mas fato é que a Mercedes vai arrumar um capacho, pois eles já tiveram um pouco de trabalho com o Rosberg. Imaginem se arrumarem um novinho insaciável por vitórias?

Rosberg disse que nasceu e cresceu com esse sonho: ser campeão da F1. Hoje - rico pra caramba - ele vai sair dos holofotes e curtir a família, com uma filhinha novinha e acompanhar o crescimento dela e quem sabe trazer irmãos e irmãs. Dinheiro tem, fome não vai passar. Ele está realizado. Quisera que todos do esporte pudessem fechar as suas carreiras no ápice como ele, e depois, viver feliz, fazendo umas coisas aqui, outras ali. 
Genuína e bela atitude de Nico Rosberg, sem soberba, sem ser mercenário... Honesto.
Obrigada Rosberg. Ganhou muito, mas muito mais crédito do que eu imaginaria depois de vencer um campeonato em cima de um cara nada humilde. Esse tipo de coisa, a gente aplaude mesmo.


Desta vez sim: abraços afáveis!

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Abu Dhabi fechando 2016

Chegamos ao fim de outra temporada.
Não foi a melhor das temporadas, mas foi muito mais agradável que a anterior de 2015 - que me fez, pessoalmente, parar de anotar tudo o que acontecia em cada GP, detalhadamente, em cadernos. 
Este ano, fiz tabelas em Excel com as pontuações a cada etapa de piloto mais equipe. Mas assim que a NFL começou e as obrigações acadêmicas começaram a exercer as suas funções primordiais (as de aparecer todas de uma vez, tomar um tempo grande e te deixar exausta para qualquer outra coisa) eu não atualizei a tabela ainda. 
Isso é de menos. Importante é ter acompanhado pelo menos, a maioria das etapas. 17, das 19 para ser mais exata e as outras duas, pelo menos, em resumos. 
Tivemos ontem um fim eletrizante para uma pista bem morna: Nico Rosberg deve ter ficado na liderança do campeonato pelo menos, 16 das 19 corridas. Por estes termos, ele já era merecedor do título. Ainda na última corrida, ele precisava de pelo menos um terceiro lugar para se sagrar campeão. Hamilton poderia até se virar na frente que nada mudaria para ele. Nico acabou por fazer o trabalho no momento que deveria ter feito, deixando que o acaso e a pressão se recaísse no companheiro.
Para quem chamou a disputa dos dois de disputa psicológica, e que o LH era mais "evoluído" nesse ponto, aqui vai: não, não era. A gente fala em teorias da conspiração, mas somos torcedores e figuras passionais de fora do esquema. Hamilton, e só ele, é que levantou esse tipo de argumento quando tudo deu errado... Mente mais forte? Não acho.

Apesar de ter achado que a Mercedes arquitetaria alguma coisa para arrumar a vidinha do LH, felizmente isso ficou de lado ou alguém não aceitou fazer essa bobagem por eles. 
No meio tempo, Rosberg teve sim, com o que se preocupar. A abertura do "faça o que quiser e seja feliz" para Max Verstappen quase colocou  FIA em outros maus lençóis por ter deixado isso acontecer. Atrás de Rosberg, ele decidiu passar. Depois de um tempo, a estratégia da Mercedes pedia que Rosberg voltasse à segunda colocação. De certa forma, eles não se sentiram tão doloridos em pedir para que ele atacasse Verstappen. Dali, podia ter um toque entre os dois que tiraria Rosberg da pista e Toto riria tanto que sua barriga ia doer. Mas felizmente alguma boa luz veio a Verstappen e ele não facilitou, mas também não sujou com a tentativa de ultrapassagem do Rosberg.

Sim, Verstappen é um moleque danado. Sim, ele é desmedido e seguramente, muito bocudo. Mas tem talento. E pode dar muito trabalho ainda. Mas a defesa dele neste momento, nessa última corrida, não coube e creio que ainda não caberá. Galvão Bueno bateu boca com Reginaldo Leme, uma das poucas vezes em que teve razão. Simplesmente, porque não era hora de mostrar serviço. E eu digo o porquê  com um nome e um ano: Timo Glock, 2008.
Naquele último GP em 2008, Felipe Massa estava cruzando a linha de largada em Interlagos como campeão mundial, quando o pneu de Glock furou e ele foi ultrapassado por LH. Depois disso, os pachecos choraram por semanas a fio (e choram até hoje). Eu conheci gente que disse que Glock tinha feito de propósito, afinal "era costumeiro que alemães ferrassem com a carreira de brasileiros" desde Schumacher. Uma bizarra afirmação, mas vocês sabem que dá para ouvir de tudo desse pessoal.
Depois disso, as mesmas figuras nacionalistas (e hipócritas), deram risada por Vitaly Petrov segurar Fernando Alonso em 2010. 
O russo segurou tanto que depois assumiu a palhaçada de que estava lá para marcar pontos e não ajudar os colegas. Seu egocentrismo pode ter facilitado contratos naquela época, mas também fechou portas. Hoje eu não sei onde ele está e o que faz da vida, de tão relevante que foi.
Enfim, ficaria um tanto feio para Verstappen. Egocentrismo cobra preços altos, cedo ou tarde, mas cobra. Ele iria se arrepender de ter feito isso quando ele estivesse calçando os sapatos de Rosberg no futuro. Além de feio, fato é que ele não ganharia nada agindo assim. E a gente também não, afinal, seria o segundo campeonato que Hamilton venceria por forças maiores e não por talento puro. Para quê?

Rosberg ainda teve um trabalhinho no final proporcionado por Vettel. Fazendo uma boa corrida e uma boa estratégia, Vettel conseguiu até largar Verstappen para trás. Chegou em terceiro e logo, por estar em bom ritmo, forçava bastante atrás de Rosberg. Cheguei a ler comentários de haters do Vettel dizendo que o mesmo não tinha feito nada o ano todo, e decidiu encher o saco do compatriota no fim. 
Aí sim cabe defesa ao Vettel, se me permitem. Rosberg teve problemas com Verstappen, mas se tivesse mais espaço para avançar, teria se afastado do menino maluquinho. Mas Hamilton usou da pior tática pensável para quem é "tão talentoso e mentalmente equilibrado", "um mito", "uma divindade": escolheu ter um ritmo ridículo, segurando todo mundo para forçarem erros do Rosberg. Isso que pouco antes a Globo mostrou entrevistas dos "rivais" e LH disse que ia fazer a parte dele, ia procurar o bom ritmo e não ia segurar ninguém... 
Ora, que bom deve ser, ser torcedor de um tipo destes... #sarcasmo
Então, a pressão que o Vettel proporcionou mais me pareceu vindo de ritmo bom. No fundo, arriscaria dizer que Vettel empurrava Rosberg a tomar uma atitude a atacar Hamilton e vencer o negócio de forma bastante triunfal. Os haters, assim como os fanáticos, são cegos. Porque raios Vettel seria o egocêntrico da vez, por ventura, jogando Rosberg para terceiro, diminuindo a possibilidade de vencer o campeonato, sabendo que em terceiro, eles estaria no limite, e com chances de acabar perdendo a posição consagrando LH campeão? Esqueceram que Vettel tem 4 títulos e se assim fosse, LH empataria com ele? Ora... Acho que momentaneamente, Vettel quis vencer a corrida e passar os dois de uma só vez, mas ele percebeu isso e só manteve o ritmo pouco antes do fim. 
E se fosse essa apoteose toda, ele não teria tirado fotos e sorrido tanto ao Rosberg com a vitória depois.

Por fim, acho que já me extrapolei bastante, mas foram esses o sentimentos.
Fiquei bem nervosa em alguns pontos da corrida. A insistência de Arrivabene conversando com Toto desde quinta-feira, levantou suspeitas de que alguma coisa estava rolando, mas em tese, Kimi não se rebaixou à isso, nem Vettel. Mesmo que Verstappen tenha "causado" foi relativamente ok. E convenhamos, que corridinha comprida essa. Poxa.
No geral, a temporada foi boa. Ressalvas para os momentos tristes, tais como a despedida de Jenson Button de um jeito nada legal, na última etapa. Jenson é um dos caras mais legais da F1 e por mais ameno que muitos possam considerá-lo, ele é um bom piloto. 
Kimi fez muito no campeonato, mas os números acabaram por não mostrar isso. Por um tempo, no começo da temporada, Kimi chegou a ser segundo/terceiro. Ontem, terminou tudo em sexto e até Vettel acabou o superando, mesmo não tendo protagonizado grandes corridas. A Ferrari está indo de mal a pior e a gente nem sofre mais, só lamenta. Ano que vem farão 10 anos sem um título de piloto. 70% disso é culpa deles mesmos.
Outro sentimento ruim é o de mau perdedor estampado na cara de Hamilton. Eu poderia escrever o quanto inconveniente esse cara é, mas... Tudo isso aqui está bem longo, já.

Para 2017 ficam perguntas ainda sem respostas e algumas constatações: 
- Button deveria ficar na F1 apenas de enfeite, porque aos poucos, estamos ficando com menos opções de pilotos munidos de atrativos físicos descentes;
- A F1 é um ambiente masculino, mas o que saltou aos olhos ontem foi a presença massiva das mães emotivas, das esposas e as convidadas/aparecidas naquele Abu Dhabi;
- Por falar nas aparecidas, que tanto de mulher estranha ali, não? Tudo  "profissionais" que estariam na festinha depois? Inclusive, porque raios Paris Hilton estava lá com aquela cara de que não sabia onde estava, mas sabia que logo serviriam as bebidas?;
- Bernie Ecclestone está vivo depois do Rosberg ter pegado ele no colo?;
- Rosberg precisava mesmo pegar esse véio chato no colo? (O que a emoção não faz, hein?);
- O que fará agora Dudu Massa? Onde ele vai aparecer? O que ele faz? Como se alimenta?...;
- Sentiremos falta das reclamações infundadas do Felipe Massa? Ou dos seus comentários toscos a respeito de colegas e ex companheiros? (Tenho certeza de que eu, não!);
- Ou sentiremos mais falta do Reginaldo Leme que já estava meio gagá?;
- Sem contrato, Felipe Nars fora da F1 mais a aposentadoria de Reginaldo pode levar a F1 não ter transmissão em tv aberta no Brasil?;
-  O creme que o LH deve ter usado nos cotovelos, depois de sair do holofote como "o perdedor", fez efeito?

Essas e outras coisas, virão talvez a se resolver só em 2017. Até lá, se pudermos e se o tempo permitir!

Abraços afáveis!


terça-feira, 22 de novembro de 2016

Tag Musical: Músicas que você escolheria para (#12)

♫ Música que você escolheria para

♫ Dia 12 - Ouvir num carro a caminho de uma festa, balada ou show


Já aviso por antecipação que não tenho música para ir em "balada". Uma que balada pressupõe muito barulho e músicas dance/techno e qualquer coisa desse tipo. Duas que, essas coisas mais gente bêbada (ou doidona por outros meios) realmente não é ambiente em que eu me sinta confortável. Talvez um barzinho, com música ao vivo de uma banda de rock, seja muito mais legal. Mesmo com gente bêbada (ou doidona por outros meios), parece ser ambiente mais propício para mim. 
Mesmo assim, imaginando uma festa da qual tenha qualidade musical, vamos ao que interessa da tag 12: uma música para ouvir a caminho de uma festa ou um show.

Estar a caminho de shows depende totalmente de quem é o show - ou seja, a banda ou o cantor em si já pede que aqueçamos os "tamborins" para o que está por vir, no caminho de "ida" - e provavelmente, o da "volta".

Agora, para uma festa, pode ser algo dançante, mas não chato ou pop lixo. 
Hoje, por coincidência, acordei com as músicas do The Pointed Sisters na cabeça. A tag caiu como uma luva!


Deixo para vocês comentarem. 
Peço desculpas pela pouca dedicação ao blog, mas o fim do semestre tem corrido bastante e muito ainda há de ser feito antes que se comece a falar em ceia de Natal. 

Bom resto de semana a todos. 
Abraços afáveis!

♫ Outras escolhas:
Número 1- (Música que escolheria para usar como despertador);
2 - (Música que escolheria para ajudar a dormir);
3 - (Música que você escolheria para ler um livro); 
4 - (Música que você escolheria para um dia de sol);
5 - (Música para ouvir num dia de chuva);
6 - (Música para malhar em casa ou na academia);
7 - (Música para cantar no chuveiro);
8 - (Música para ouvir numa viagem de carro);
9 - (Música para beijar a pessoa amada);
10 - (Música para fazer um trabalho manual ou no computador);
11 - (Música para arrumar um quarto bagunçado)

quarta-feira, 16 de novembro de 2016

GP do Brasil em Fotos

Alguns cliques do fim de semana e do domingo "Xou da Xuva":


Alonso sempre tem visões privilegiadas do GP brasileiro agora. Aqui ele toma sol, filma os carros... 
Pura diversão


***

Eu não vi isso, mas foi o Massa que escolheu?
Nossa, mãe!



***

E você aí achando que só você se estica  para tirar foto né? 


***

Rosberg: - Que esse cara tá fazendo aqui?
Kimi: - Sei lá. Cheguei agora.


***

Botaram os 4 de castigo na chuva!


***
Kimi, você sabia que a chuva vem da represa? 


Se o Galvão não fala, a gente se encarrega de repetir...


***

Se os pilotos nunca souberam como é estar em fila de banco ou loteria no Brasil, eles sentiram a sensação na pele no domingo


***

"Olha a alface, fresquinha, recém tirada do pééééééé!!"
"Olha os 'melão', olha os 'melão'..."


***

Hey, Tem chuva em novembro?

Yes: November Rain



Pergunta 1: Slash não tem cabelos brancos?
Pergunta 2: Primeira celebridade no paddock que pelo visto, não tirou foto com o Hamilton?
(e que ninguém disse que o Hamilton é fã, ou amigo íntimo?...)
Pergunta 3: Bastou o Kimi bater e ele foi embora?


***

Todo mundo chorou com a despedida do Massa, da cena dos mecênicos das equipes batendo palma pra ele nos boxes. Sim,  foi bonito.
Eu não chorei. Eu não costumo chorar por coisas que eu sei que depois vou arrepender de ter gastado lágrima. Mas foi bonito, reconhecimento que ouso dizer que ninguém mais terá, do jeito que foi: espontâneo (pelo menos, na aparência). 
Mas que é engraçado as pessoas passarem a carreira do cara odiando ele e depois mudarem, isso é. 
Eu não vi ainda aquele papo de que brasileiro quando acha alguém "uma porcaria" continua achando "uma porcaria". Basta meia dúzia de gringo dizerem o contrário para um bom tanto voltar atrás. 

Mas como aqui é espaço para uma leve e despretensiosa zueira, peço licença:

As pessoas choraram pela homenagem e respeito prestado.
Eu choraria de ver essa careca ali ... 


***

Olha, ele flutua... Huuuuum...


***

A selfie dessa vez foi com a torcida animada, muita gente, mas pelo visto nem tudo é brasileiro. Claro, porque brasileiro é de uma educação maravilhosa... Numa dessas ainda iam xingar o Nico


***

E aí, ainda detesta o Verstappen?
Olha o que ele tem para você:



Abraços afáveis!