sexta-feira, 30 de setembro de 2016

Tag Cinematográfica: Desafio dos 30 filmes (# 10)

Desafio dos 30 filmes: Dia 10 - Um filme que tem vergonha de dizer que gosta

Esse desafio até que é mais fácil. Tenho dois e não um filme que tenho vergonha de dizer que fosto, e como as justificativas deles são meio que parecidas, e há o espaço, aqui vou com eles.

Seria pedantismo demais dizer que ninguém que gosta de cinema não tem um filminho podre na sua lista de mais vistos ou favorito.

O primeiro filme da minha lista marcou minha infância - sou de tempos em que a criançada ainda tinha pela TV, o seu passatempo favorito e não, como hoje, um celular e meia dúzia de redes sociais e jogos fazendo a tarde (ou a manhã) de uma criança da nova geração.

A minha primeira escolha, por coincidência, o filme "Elvira, a Rainha das Trevas" completa hoje, dia 30 de setembro, 28 anos. 
Lançado em 1988, Elvira - interpretada por Cassandra Peterson - vive uma moça gótica que é apresentadora de um programa de terror de baixo orçamento. Tudo muda quando ela recebe uma herança da sua tia Morgana - que também é interpretada pela Cassandra. Embora pareça que é uma grande quantia em dinheiro ou coisa parecida e de valor, ela na verdade ganha uma mansão muito velha numa cidade minúscula do estado americano de Massachusetts. 

No caso, ela aceita a herança planejando vendê-la para ir trabalhar em Las Vegas como show girl, digamos assim. O impasse se dá, como toda cidade corrutela, e ainda interior dos EUA, ao enfrentar os preconceitos dos moradores e causar espanto nos adultos da cidade de Fallwell: -pouquíssimos habitantes e uma visão bronca das coisas, não seria nada fácil para Elvira conquistar a população com esses trajes:


O segundo problema que ela enfrenta (e dele, o embate com a população conservadora da cidade acaba sendo uma aliada) é o tio de Elvira. Ele não herda nada dela e quer tomar posse de um "livro de receitas" das quais Elvira também herdou. O livro não é de culinária e sim, são poções e feitiços de bruxaria, que o tornaria poderoso. 

Tudo certo até aqui em que resumi o roteiro, correto?
Para quem não conhece o filme, espero que tenham captado que trata-se de uma comédia. E uma comédia leve, bem oitentista, bem sessão da tarde. 
Inclusive, eu assistia na tv Globo, com lá meus 5-6 anos.

Os grandes problemas vexatórios do filme:
a) um roteiro desse só poderia significar ser uma bomba;
b) com uma protagonista à moldes sensuais, como achar que o filme é de respeito se ele conta com esse tipo de cena:



Só com isso, já me faço entender.

Mesmo assim, o filme é legal, dá para tirar umas boas risadas.
E, fora do particular, Elvira é ícone cult, especialmente para fãs do Dia das Bruxas - o figurino é sempre copiado, juntamente com a Morticia da Família Addams. Quem tem corpão e uma cabelo bem preto, tem chances de sair assim no Halloween e arrasar.

O segundo filme, que comentei ser o mais recente, é "As Branquelas".
Os motivos são diferentes,  mas igualmente vexatórios.
O enredo trata-se de dois agentes da FBI, atrapalhados, que acabam pegando um caso de proteção contra o sequestro de duas socialites dondocas: Brittany e Tiffany Wilson - seguramente uma piada com Paris Hilton e figurinhas desse tipo. Acontece que ao pegarem as meninas no aeroporto e perigando perderem o emprego, os caras se deparam com um leve acidente, por causa do cachorro das meninas e as duas se machucam: uma, o lábio e a outra, o nariz. Um corte mínimo em ambas, e revoltadas, elas surtam porque estragaram os seus "belos rostinhos". Para não perder o emprego, eles prendem as meninas e se trasvestem como elas para encontrarem os outros agentes que pegaram o caso para descobrirem mais informações do sequestro para o FBI. Aí as loucuras começam:
a) eles são negros e elas, loiras;
b) no meio da organização de "entrega" das meninas, eles topam com as amigas delas que os levam nas "festas" que elas iam participar - (o que tem a vantagem pois também ajuda eles na investigação de quem seria o suposto sequestrador).


Tosco e com esteriótipos muito anti politicamente corretos, seja com relação à de brancos e ricos, seja sobre negros, a gente se sente mal por dar risada, mas a real é que é um humor, ainda que pejorativo, feito por negros e com eles encabeçando as piadas. Uma coisa é você rir e se divertir com as piadas sobre os dois lados, outra coisa é usar o discurso da não aceitação desse tipo de coisa como se isso blindasse o racismo. 

Os irmãos Wayans assinam a história e são os protagonistas. Os caras são bons em comédia e certamente esse é o melhor filme deles. 
Já disse aqui que é um ruim sob a perspectiva de cinema, arte e tudo o mais, mas admito que gosto. Uma besteira de vez em quando, não mata ninguém.

Fico no aguardo de quem quiser contar qual é o seu filme que tem vergonha de dizer que gosta, nos comentários.

Bom fim de semana a todos! E por favor, se forem votar, saibam as consequências da sua escolha: seu município, agradece!

Abraços afáveis!


► Para acompanhar as outras escolhas:  

sábado, 24 de setembro de 2016

Sobre a MP da Educação

Primeiramente, acho válida toda insatisfação das pessoas com essa MP da Educação. Tudo é válido, desde que não seja contraditório. Então aqui vai um textão:

Certa vez, ainda na época da graduação, conversei com umas pessoas que questionaram a minha opção de sair do curso da Matemática e prestar História. Aquela "boa" e velha pergunta "você quer dar aula?" como se fosse uma acusação de homicídio,  me fez dar uma seca resposta.
Respondi que não necessariamente, e que não via nenhum problema em ser professora. 
Uma das pessoas disse depois: 
- "Você, assim, baixa, magrinha... A molecada vai te matar! Imagina: eu gosto muito de história... Adoro estudar história sozinha e uma vez, em concurso, acertei todas as questões de História do Brasil... Mas é ruim você ter que controlar a molecada em sala com você sentada falando do passado."

Como eu posso provar para ela que ela está falando um absurdo, se eu já tive aulas assim? Já tive inclusive, bons professores de história que não eram formados, imaginem só! Os caras eram de fato bons e abriam discussões legais. Claro que eles não eram melhores que os que se formaram para fazerem isso, mas acontece. Tive tanto professor de matemática e física que eram recém formados em Engenharia que perdi as contas. Alguns eram péssimos, outros, muito bons. 
E sim, já tive aula de história em que a professora, formada ficava sentada o tempo todo. E já fiz estágio com professores que fizeram isso. Então, existe também os formados e preguiçosos. Como tudo na vida, existe o bom e o ruim.

Vejam: essa pessoa sabe que eu não imponho respeito como professora por conta do meu físico - uma coisa que é verdade, é meu e estou lutando para mudar. Mas tenho 29 anos, eu não vou crescer mais, a não ser que seja para os lados, não é?
Tenho a voz baixa, e se eu tentar falar muito alto eu sei que fica aguda e chata. O que eu posso fazer? Tentar controlar o tom e forçar para ser ouvida.
Eu queria fazer engenharia mecânica e estudar até virar do avesso para trabalhar na F1, mas não foi assim que as coisas ficaram.
No meu tempo de escola, chorei todos os dias na porta da sala, da primeira a quarta série, porque eu tive professoras com métodos dos anos 20. 
Quando cheguei à quinta série, mudei de escola e fiquei de recuperação em Matemática (meu primeiro curso de graduação) e em História (minha formação). Na sexta série eu tomei vergonha na cara. Mas nunca mais voltei a ter dificuldade em uma matéria. No "colegial", eu confesso que a única matéria que eu realmente tinha preguiça era Biologia.  Questionei porque eu tinha que saber da reprodução das plantas? Sim, mas eu sabia que era porque eu não gostava de Biologia e por essa razão essa era a única matéria que eu estudava para dia de prova.

Eu posso até ter alunos que gostem de História, mas a pessoa acabou deixando claro que dá para estudar sozinha. Ela conseguiu acertar todas as questões de um concurso, eu vou dizer que não é possível? Eu preciso acreditar nela e a partir disso, eu não posso contra argumentar que ela precisava de aulas particulares de História. 
De que forma eu poderia fazer ela acreditar que eu não vou ficar falando e falando de "passado" com uma voz de "embalando berço" e em pé? Ela precisaria me ver em sala de aula. Ela me vê assim, calma e meio ressabiada, para não dizer tímida e acha o quê? Que eu vou entrar em sala de aula gritando e fazendo mágica? Claro que não!
Eu só fui aprender a fazer apresentação de trabalho sem ficar tremendo que nem vara verde, na faculdade. Eu não conseguia falar e eu ainda fico vermelha algumas vezes, mas eu preciso fazer então eu tento da melhor forma, contornar isso, pois só depende de mim. Eu só aprendi a dar aula, montando programas no estágio e observando meus  professores. E eu sou aluna. Eu sei o que é que "a molecada" quer, porque eu já quis algumas das mesmas coisas um dia.  Mas é obvio que muitos destes alunos agora (aparentemente, porque ainda não sou professora mesmo) não estão muito lá para escola como eu era. Eu vejo pelo pessoa que chega a faculdade. Eu uso ônibus de estudantes para ir à UFU à 10 anos. Os assuntos que ouço nestes veículos não são de universitários. E quando o assunto é acadêmico, eu me assusto com algumas bizarrices. 

Essa MP é injusta em vários pontos. Governo ilegítimo ou não, é fato que essa discussão de "reforma" não tem o nome do Temer. A situação da educação brasileira é crítica. Só quem está lá, trabalhando com ela é que sabe o quão desastrosa ela está. Crianças tem ido para o ensino fundamental sem saber ler, sem saber o que é "verbo". Governos "legítimos" - para usar termos que a maioria gosta - já quis diminuir a carga horária de História no ensino médio porque e "repetitivo", já quis não exigir o ensino matemático da fórmula de Báskara no ensino fundamental, porque ela não tinha serventia.
Não sejam bobos, por favor.
Tudo que eu vejo agora é gente com suas hashtags de "Fora Temer", mas pediu cola em prova de História - que eu bem sei! Estudou em escola particular e teve aulas com professores, que eram formados em Direito, mas davam aula de Sociologia. Eu sei porque eu tive aula com um professor assim. E ele era ótimo, apesar de ser mais carinhoso e gente boa do que bom de conteúdo.
Quem trabalha com educação sabe: há muitos anos a "molecada" quer que o professor falte para que abram a quadra para jogar bola. E existe o outro tipo de aluno também: aquele que é chamado na sala da diretora porque ele apontou erros de disciplina de uma professora preguiçosa e sem ética. 
Alunos não são mais bobos. 
Essa MP, embora torta ela é - infelizmente - o primeiro passo. Afinal, eu tenho 10 anos de universidade e vejo os problemas, ouço as reclamações dos profissionais da licenciatura. Até quando vamos ficar só no blábláblá? Não se iludam, uma medida precisa ser encaminhada, e embora a que foi proposta não seja nem de longe a ideal, é preciso sempre pedir que a façam pelo menos. E que façam até chegar ao ponto do ideial: todas as disciplinas com o mesmo peso, com profissionais competentes, que tenham não certificados de educação online, mas mestrado em educação, doutoramento ou pelo menos, estudos de especialização que sejam de fato, grandiosos que proponham métodos e que atendam a todas as necessidades de alunos - sejam eles quais forem. 

Se vocês ficarem nesse "achismo" e nesse bombardeamento de bobagens que vivemos uma nova ditadura,  que estão tirando as disciplinas de formação crítica dos alunos porque não querem que pensem - vocês estão coniventes com a estagnação e o deterioramento da Educação no país, sinceramente.
Só peço que me apontem, onde é que alguém que teve, História, Geografia política, Filosofia e Sociologia na escola, durante os 3 anos do ensino médio, hoje, sabe falar de feminismo sem ser pedante, saiba falar da saída do Reino Unido da União Européia sem ser medíocre, que saiba resolver a questão racial nos EUA sem ser radical, entre outras coisas... 
Reafirmo: vocês não veem o tipo de aluno que está chegando à universidades hoje. A questão é periclitante. E muito. Então não adianta falar que está errado agora, coisas que eu e muitos já experimentamos o começo do fundo do poço.

Abraços afáveis!

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

GP de Cingapura em Fotos e Momentos

(Coisas que antecederam a corrida em Cingapura)
Tenho pra mim que esposas e filhos devem poder sugar a energia dos pilotos...
Bastou para o Vettel ser pai, e as coisas passaram a dar errado para ele, lá quando ainda estava na Red Bull. 
Kimi separou e arrumou uma "Tarja Turunen com restrições orçamentárias". Casou em agosto, mas em toda a aparição da moça testuda (especialmente, depois do nascimento do primogênito) no paddock,  não houveram corridas boas e de sorte ao finlandês.
Rosberg casou-se e também foi pai, mas andou perdendo chances de vencer pelo menos, dois campeonatos (neste caso, nem é culpa da formação da família, pois bem sabemos).
Mas, o ponto é que  Valtteri Bottas uniu trapinhos com a nadadora antes do GP de Cingapura:


E o GP chegou, e puff: abandonou a corrida. 



À título de curiosidade feminina, gostei muito do casalzinho "bichinhos de goiaba". 
Imaginem os filhinhos? Que coisa!



Sem brincadeira agora: Lindocasal. Emilia foi muito feliz na escolha desse vestido. 
Achei bem bonitão. E embora o noivo, eu prefira esse aqui abaixo:

...Porém isso, não me diz respeita. O gosto é dela.
Achei deveras exagerado a cauda da testudinha... Mas, vá lá... 
Na vida ou se tem o noivo perfeito, ou o vestido perfeito.
(Ou nada disso, como é o caso de muitas de nós)

(PS: escrevi isso no momento da fome...)

***

Chega disso, vamos à Cingapura: 

Bonita pista. Mas paramos por aí. 
Cingapura pode encher os olhos, mas lá os pilotos sofrem com o calor e a gente, sofre com o tanto que é longa


***


No lugar de quem que essa criatura estava? 
No lugar do Massa? Porque eu nem o vi a corrida toda!

#SonhosRealizam

***


Compraram a maldita da bermuda em liquidação?!


***

Hulk, tá passando da hora de plantar coisas verdes. 
Arruda, por exemplo.
Ou deixar de passar em baixo de escada...
Evitar gatos pretos...


***

 Hamilton sendo anfitrião 


***

Ninguém nunca perguntou as vantagens em ser mulher e gostar de esportes em que a maioria dos fãs são homens. Tipo: porque assistir NFL, um tanto de cara grande, bruto se debatendo por uma bola? Eu assisto porque é viciante. 
Porque ver F1? Uns carrinhos brilhentos e uns pilotos vestidos dos pés a cabeça? 
Eis aqui uma boa resposta para essa exemplificar essa "vantagem":

Obrigada Nico, eu não tinha noção do quão quente estava Cingapura.
Adorei a demonstração


***

Há mais empolgação em um velório...


***

Por falar em empolgação, cada vitória um pulo "quente" 


***
Olhos fervendo? 
Nem quero saber onde é que foi parar esse pacotinho super anatômico, para esfriar outras partes...
Não quero mesmo, Ericsson.


***

Ai, essas mãos em lugares indevidos!!!!!!!


***

Ah, agora decidiu participar da selfie, Lewis?


Fico por aqui.
Abraços afáveis!

segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Cingapura: os + e os -

Todos conhecemos pilhas alcalinas certo. E todos sabemos que elas tem lados positivos e negativos. O GP de Cingapura foi assim, mais não quer dizer que foi equilibrado. Comecemos pelo lado que pesou mais: negativos.


Negativos:
- Largada contando com Vettel em último;
- Largada dos três primeiros tão sem emoção quanto uma corrida de tartarugas;
- Largada sanduichada de duas Toro Rosso para cima de Hulkenberg
(parece que Verstappen ensinou e a galera viu que pode fazer sem se preocupar);
- Poucas ultrapassagens, 
e quando existiram, ou elas não serviram de nada, ou elas foram retomadas pouco mais tarde;
- Um safaty car, e um calor dos demônios;
- Um narrador idiota;
- Ferrari indecisa, ferrando uma estratégia (do Kimi, claro!);
- Bottas não abandonando a corrida, e deixando Massa marcar pontos para a Williams;
- Mercedes dando seu jeitinho;
- Duas Mercedes no pódio;
- Corrida longa, mas longa, mas muito longa...

Positivos:

- Reação de Vettel durante toda a corrida, garantindo a ele, quinto lugar;
- Kvyat fazendo Verstappen provar do próprio veneno;
- Vai reclamar Verstappen? Olha lá, não vale...
- Ultrapassagem de Kimi sob Hamilton;
- Volta de Rosberg à liderança
(indicativo que logo teremos "mimimis" do Hamilton);
- Ricciardo no pódio (de novo!\o/)

E foi isso. Ruim ou péssima, essa é  Cingapura, sendo um espelho de uma parte da temporada.

Quanto ao retorno de Rosberg à liderança - já que não podemos fugir mais da Mercedes - aqui vai um papo de lógica, só para refletir:
Um o piloto que menos tempo ficou na liderança esse ano, pode vencer o campeonato... 
Ai, ai...

Abraços afáveis!

terça-feira, 13 de setembro de 2016

Tag Musical: Músicas que você escolheria para (#11)

♫ Música que você escolheria para

♫ Dia 11 - Arrumar um quarto bagunçado

Assim como a tag anterior, quarto bagunçado ou arrumações de armários e coisas do tipo, acabam levando tempo. Principalmente eu, que gosto de deixar tudo de forma bem fácil e acessível. Até armário eu gosto de deixar as roupas dispostas em cores ou estações. Então isso pode levar um tempo. E um tempo, pode ser um disco inteiro. E olhando os meus poucos álbuns preciosos aqui perto do computador, meus olhos caíram em Judas Priest: Painkiller!!




01 - Painkiller 
02 - Hell Patrol 
03 - All Guns Blazing 
04 - Leather Rebel 
05 - Metal Meltdown 
06 - Night Crawler 
07 - Between the Hammer & the Anvil 
08 - A Touch of Evil 
09 - Battle Hymn 
10 - One Shot at Glory 

Abraços afáveis!

♫ Outras escolhas:
Número 1- (Música que escolheria para usar como despertador);
2 - (Música que escolheria para ajudar a dormir);
3 - (Música que você escolheria para ler um livro); 
4 - (Música que você escolheria para um dia de sol);
5 - (Música para ouvir num dia de chuva);
6 - (Música para malhar em casa ou na academia);
7 - (Música para cantar no chuveiro);
8 - (Música para ouvir numa viagem de carro);
9 - (Música para beijar a pessoa amada);
10 - (Música para fazer um trabalho manual ou no computador)

quinta-feira, 8 de setembro de 2016

Fotos em Monza

Desculpem a demora.
Começamos com um caso de notícia: a foto a seguir veio da página da categoria no Facebook: Crazy4F1

Massa revelou no meio da semana que se aposentaria. Já escrevi um post sobre.
Elogiei sua atitude mais do que gostaria. Mas, como aqui é um espaço da zueira, posso fazer brincadeira com a situação.

Zueira 1:
Vi no site "Omelete" que os Trapalhões irão voltar à TV com os remanescentes Didi e Dedé.
Imitadores do Mussum e Zacarias já estavam escolhidos.
Massa vai ser Zacarias.


Zueira 2: 
Eu mesma falei que atitude do Massa era nobre: aposentar-se em um equipe relativamente grande, que tem sempre chances de pontuar, é muito melhor que se oferecer até para Manor/Marussias da vida virando motivo de piada no grid, por conta de não saber "largar o osso".
Mas...
Ao mesmo tempo, lembramos que o Galvão falou lá nas corridas iniciais que Massa poderia não ter contrato com a Williams e que ele tinha dito pessoalmente ao Galvão que havia a possibilidade de ir para a Renault, que ela viria com boa estrutura para 2017, com um carro competitivo...
E a pérola: "Ele me confidenciou que nessa altura da carreira, não corre por dinheiro, corre por competitividade..."
Essa "súbita" decisão de aposentadoria, sem ninguém ter cantado a pedra antes, pode ter outra ideia: A Williams lançou mão do recontrato e a Renault não deu segurança nenhuma de que o contrataria. A atitude pode não ter sido nobre e sim covarde: não esperou chegar a dança das cadeiras e ser sumariamente substituído por um "novinho" e com mais cabelo. 


Sobre a questão, Jenson Button, não postei comentários, pois fiquei sabendo no sábado. A ideia geral é que ele ficará nos bastidores ajudando a desenvolver o carro da McLaren, enquanto Stoffel Vandoorne assume a posição de titular.
Há quem opine que é a melhor coisa a ser feita, uma vez que Button tem remado e não saído do lugar.
Stoffel é futuro da F1, sem sombra de dúvida, mas colocar essa bomba na mão do garoto tem 50% de chances de ser um ato desastroso para o futuro dele na categoria.
Por outro lado, ele pode ser tão bem sucedido, que a gente não ouça mais o nome Jenson Button. 
A grande pena é que não temos mais entrevistas de um gentleman na F1 em 2017 e a iminência da aposentadoria total ou dele, ou de Alonso para 2018. 

Zoeira 1:
Se der errado para Stoffel, teremos Button de volta em 2018 com andador e não uma McLaren.


Zoeira 2:
Se der certo para Stoffel, o grande medo dos alonsistas deixa de ser um vulto negro para tomar corpo - 2018 é Button e Vandoorne. 


Parece que não, mas é assim.

***

E o prêmio com a cara engraçada foi para...
a) Sebastian Vettel
b) Kevin Magnussen
c) Kimi Räikkönen


***

Povo "lindio"...

Agora com "équio"

***

 Os nórdicos e seus cambitos. 
E eu que penso em gente nórdica pensava assim:


Hoje, penso assim:


***

Bumbuns achatados ou tampadinhos com bonés


***

Sono tutti buona gente con pigrizia


***

Só uma coisa?


***

Sanduicharam Nars.
Nars culpado.
Resultado: Sem Massa, e Nars perigando sem contrato e punido assim, Ecclestone e afins tiram o GP brasileiro e os pachecos choram


***

A expressão do Rosberg dita a confiança que ele tem nessa equipe de falsos



Querem apostar uma barra de Suflair que quando o Hamilton vencer nas próximas corridas, ele vai fazer eles carregarem ele assim?!


***

Surto de piolho na escola: só Rosberg não tinha nenhum e nem vestígios de lêndeas 


***

Nessas horas fica difícil te defender, Britney


***

Ah, que afável. 
Uma selfie amistosa entre figuras compatriotas e "rivais" que se respeitam


Abraços afáveis!